Sobre


Ágama se criou como mulher e como marca independente. Upcycling não é apenas uma expressão, é vivência e poesia diária que está em cada bolsa, mochila e acessório que criamos. 

Somos mulheres de força que acreditamos em cores, formas e estampas sem tempo nem prazo de validade. Criamos possibilidades de você se conectar com o mundo de uma forma diferente: queremos o conforto, queremos que tudo esteja seguro dentro da bolsa e por fim propomos com toda a nossa força que consumir é um ato político, por isso:

  • Nossos tecidos são provenientes do excesso da produção têxtil nacional
  • Eles são livre de aditivos de origem animal
  • E a nossa produção é local e feito por mão de mulheres perifericas.
  • Cada peça é única, sempre.
  • Habitamos as vidas de mulheres que buscam diariamente a força dentro delas mesmas.

Na nossa produção a matéria-prima principal são os excessos de tecidos da indústria têxtil, retalhos, amostras e uniformes se transformam em bolsas únicas e exclusivas. 

Usamos o máximo de tecidos que podemos, mas ainda sim há resíduos,  por isso damos a maior atenção em como eles serão descartados destinando corretamente para reciclagem. Ao final desse texto você verá nosso relatório de consumo de matéria-prima anual, nesse relatório indicamos a quantidade de tecidos que utilizamos, nos produtos que são vendidos no site, em eventos, para confeccionar as peças piloto e para encomendas especiais.

Boa parte da produção é feita pela Adriana Costa, desde o planejamento até a costura, em um pequeno ateliê que fica na periferia de São Paulo, mas temos mais mãos colaborando pra que tudo fique lindo. Conheça quem são essas pessoas.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa é a Adriana, idealizadora da Ágama.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

​Essa é a Edna. Ela é costureira especialista em bolsas, mora no mesmo bairro onde está o atelie e é super tímida.
Começamos nossa parceria em 2018 onde ela costura parte da produção da Ágama. "Gosto muito de artesanato e escolhi trabalhar com bolsas há mais de 25 anos". Edna é bem exigente e sonha ter sua marca própria. ​

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa é a Vera. Depois de ser demitida, há 10 anos atrás foi trabalhar com a Edna, sua prima, ela diz que tinha curiosidade pra entender como as bolsas eram feitas e tá lá costurando até hoje, ela é responsavel pela outra parte da produção da Ágama. "Amamos o nosso trabalho, cada peça pronta nos enche de orgulho".

 

 

Esse é o Danyllo. "Sou noivo da Adriana, mulher que faz isso tudo aqui girar. Há 9 anos a conheci e desde que começou a Ágama faço parte do sonho que ela vem realizando, sonho esse que com o passar do tempo se tornou meu também. Sou responsável por algumas etapas até que a bolsa chegue em suas mãos. Ajudo no garimpo pelos tecidos, corte e só não costuro porque esse dom não adquiri (ainda), embalo, faço entrega, retiro peças e matéria prima, faço cadastro de novas clientes e vendo, - dizem que vender é o que faço de melhor". 

 

Conforme falamos lá em cima, nossos tecidos são provenientes do excesso da produção têxtil nacional, eles são livre de aditivos de origem animal e a nossa produção é local e feita por mão de mulheres perifericas, falamos sobre como produzimos nossos produtos e agora vamos mostrar a quantidade de matéria prima que tiveram seu ciclo de vida prolongada.

Começamos a contabilizar esse volume em maio de 2016, nossos numeros são:

2016 2017 2018
14.328 31.690 31.648

 

Em 2019 continuamos a contagem do consumo de tecidos.

Siga-nos:

Assine nossa Newsletter
para receber descontos e descobrir todas as novidades.